NOSSA HISTÓRIA

FUNDAÇÃO

A Morada Espírita "Prof. Lairi Hans", entidade Kardeccista, filantrópica e reconhecida pela Prefeitura Municipal de Campinas, foi fundada em 29 de outubro de 1980 por Luzia Pacubi, Heloísa de Oliveira Bueno, Maria Aparecida Nogueira de Sá e Orlando Gache.

A Morada leva o nome do seu mentor espiritual, entidade médica de muita luz e disciplina desencarnada no ano de 1.678, com 51 anos de idade, na Alemanha. Suas diversas encarnações foram sempre marcadas pela renúncia de si mesmo, amor ao próximo e a incansável dedicação à cura dos doentes.

 

EVOLUÇÃO DAS CASAS

O atendimento espiritual da Morada iniciou-se numa modesta e humilde edícula com a presença material de 6 médiuns e a assistência de uma grande equipe de mensageiros de luz. Toda orientação espiritual foi recebida diretamente do Professor Lairi Hans que, durante quase 24 anos, manifestou-se através da médium Luzia Pacubi, sua filha espiritual de várias encarnações.

Desde a sua fundação até os dias de hoje, a Morada passou por diversos locais e algumas casas alugadas. Sua primeira sede própria, adquirida e reformada com muito esforço e trabalho voluntário foi desapropriada, juntamente com outras casas, em virtude de um projeto de obras da prefeitura. Somados à insuficiente indenização da prefeitura, a Morada juntou seus escassos recursos e adquiriu o imóvel localizado à Rua José Paulino, 1936.

Com o objetivo de germinar a parte espiritual em vários pontos da cidade, durante alguns anos a Morada abriu outras casas de atendimento, carinhosamente chamadas pelo Professor Lairi Hans de "canteiros espirituais".

Cada canteiro que se abria representava mais um jardim de cura, de amor, de fé e de doação.

Em 2002, sob orientação do Professor Lairi Hans e após o término da construção / ampliação da sede, as demais casas foram desativadas para que todos os trabalhadores da Morada permanecessem unidos numa única corrente de trabalho e doação.

 

CONSTRUÇÃO DA SEDE ATUAL

Desde a sua fundação, o atendimento espiritual na Morada foi se expandindo, as curas aumentando e o espaço foi ficando insuficiente para receber tantos irmãos que assiduamente buscavam a palavra do Nosso Pai através da parte espiritual.

Paralelamente às atividades espirituais, TRABALHO sempre foi o lema da Morada, já que a Morada nunca contou com qualquer tipo de patrocínio ou assistência financeira. Para sua manutenção, a Morada conta com seus tradicionais eventos beneficentes. Assim, com muito trabalho, amor e dedicação, o imóvel vizinho à Morada foi adquirido, demolido e o projeto de construção de uma sede maior e mais adequada foi realizado, recebendo o novo imóvel o número 1.934, à Rua José Paulino.

O projeto de construção foi dividido em duas etapas, num total de dois anos de muito trabalho e dedicação dos voluntários.

Foram dois anos de mutirões realizados pelos próprios trabalhadores da Morada.

 

A CÁPSULA DO TEMPO

Este é um procedimento inédito dentro das casas espíritas, ou seja, a preservação da memória da Morada para que as novas gerações tenham conhecimento do início de uma caminhada de dedicação e amor ao próximo.

A cápsula do tempo foi idealizada pela própria espiritualidade e todo o material nela contido foi cuidadosamente selecionado e preparado para ser armazenado no subsolo da construção. Para que as fotografias e o texto relatando a história da Morada fossem preservados dentro da cápsula, foram tomadas as precauções necessárias, seja em selecionando a qualidade e tipo do papel das fotos até o manuscrito do texto em papel especial utilizando-se grafita.

Todo o material foi colocado em saco plástico de alta resistência, tratado em atmosfera de gás inerte nitrogênio por um período de uma semana e, em seguida, lacrado com cera de abelha em uma caixa de cerâmica. O saco plástico foi selado em atmosfera de nitrogênio seco.

Uma vez colocada a caixa no cofre do subsolo do prédio, houve uma saturação de nitrogênio gasoso e depois o recipiente foi totalmente coberto com concreto. Sobre esse cofre foi afixada uma placa explicativa, data de 27 de abril de 2.002.

A cápsula do tempo poderá ser aberta somente após 80 anos, ou seja, a partir de 27 de abril de 2.082.

 

FUTURO DA MORADA

Durante toda a caminhada da Morada, desde a sua fundação, a Morada foi intensificando a doação de alimentos às famílias necessitadas, graças às doações dos trabalhadores, às coletas de alimentos realizadas nas ruas da cidade e aos eventos beneficentes realizados.

Preferencialmente a Morada sempre voltou sua atenção aos velhos, doentes e crianças. Famílias regularmente visitadas na periferia da cidade e criteriosamente selecionadas recebem mensalmente 15 itens de mantimentos em cestas básicas, na quantidade proporcional ao número de integrantes de cada família. Isso equivale a aproximadamente 3 toneladas e meia de alimentos por mês.

Repartir a fatia do pão foi e sempre será o lema de sustentação da Morada, significando a razão de tanta assistência espiritual oferecida pelos mensageiros de luz.

Como meta para um futuro não muito distante, a Morada pretende abrir as portas de um lar para abrigar idosos e crianças.

 

DISCIPLINA

"Onde não há disciplina, não estão presentes os mensageiros de luz"
                                                                                           Professor Lairi Hans

 

Disciplina, trabalho e doação são as principais marcas da Morada.

Tendo como vínculo principal a cura e a realização de tratamentos para a saúde, a Morada conta com a abnegada dedicação de uma elevada Corrente Médica Espiritual. Para que as vibrações de cura sejam recebidas pelos irmãos que freqüentam a Morada, a purificação do ambiente é condição indispensável. Por isso o Professor Hans fez da disciplina de comportamento e procedimentos o alicerce da Morada.

 

NOSSO SÍMBOLO

A flor é o símbolo da parte espiritual.

As rosas brancas, azuis e cor-de-rosa são o símbolo da Morada na espiritualidade.

Cor-de-rosa - representa o Amor

Azul - representa a Cura e a Fé

Branco - representa a Paz.

 

FOTOS

© 2015 Morada Espírita Prof. Lairi Hans